MILHO DE PIPOCA 500G ALCONDI ALIMENTOS

MILHO DE PIPOCA – 500g – ALCONDI

O milho cultivado para a produção de pipoca é de uma variedade especial, com espigas menores que as do milho tradicional. Seus grãos podem aparecer em vários formatos (achatados, pontiagudos etc.) e cores (como amarelo, branco, rosa, roxo etc.). Apresenta, como característica, grãos pequenos contendo amido duro ou cristalino.

 

Peso: 500g
Cód Barras: 7898197770065

Descrição

MILHO DE PIPOCA 500g – ALCONDI

Pipoca é um prato feito a partir de uma variedade especial de milho, o milho-pipoca (Zea mays everta), que estoura quando aquecido. Ao aquecermos os grãos desse milho de maneira rápida, sua umidade interna é convertida em vapor. Num determinado ponto, a pressão estoura a casca externa, transformando a parte interna numa massa pouco consistente de amidos e fibras.

COMO FAZER PIPOCA PERFEITA

Para fazer a pipoca salgada perfeita com milho de pipoca, é importante que todos os grãos de milho estejam à mesma temperatura. Caso contrário, alguns grãos irão queimar e outros nem sequer irão estourar.

Para atingirmos um resultado ótimo, recomendamos pré-aquecer o óleo e colocar a pipoca no óleo fora do fogo e esperar. Assim todos os grãos de milho de pipoca atingirão a temperatura de estourar ao mesmo tempo e evitamos que alguns fiquem queimados ou não estourem.

pipoca salgada

Pipoca Salgada

Para que todo o milho de pipoca estoure ao mesmo tempo e para que nenhum queime ou fique sem estourar, é importante que todos os grãos estejam à mesma temperatura.

EQUIPAMENTO

  • Panela grande com tampa

INGREDIENTES

  • 3 colheres de sopa de óleo vegetal, azeite de oliva ou manteiga clarificada (ghee)
  • 1/3 xícara de milho de pipoca

INSTRUÇÕES DE PREPARO

  • Coloque a panela no fogo médio e esquente 3-5 grãos de milho no óleo ou manteiga clarificada. Não use manteiga comum, pois ela irá queimar.
  • Quando os grãos de milho de teste estourarem, retire a panela do fogo. Retire os grãos de milho usados inicialmente e adicione 1/3 de xícara de milho para pipoca.
  • Cubra a panela e espere 30 segundos antes de recolocar a panela no fogo. Isso fará com que todos os grãos de milho esquentem por igual.
  • Retorne a panela ao fogo e mexa de vez em quando enquanto os milhos estouram. Abra a tampa algumas vezes enquanto a pipoca estoura para que ela não perca a crocância por causa do excesso de vapor.
  • Retire do fogo quando o tempo entre estouros estiver em mais de 2 segundos.

História

Os primeiros europeus que chegaram ao continente americano descreveram a pipoca, desconhecida para eles, como um salgado à base de milho usado pelos índios tanto como alimento quanto como enfeite para o cabelo. Sementes de milho usadas para fazer pipoca foram encontradas por arqueólogos não só no Peru, como também no atual Estado de Utah, nos Estados Unidos, o que sugere que ela fazia parte da alimentação de vários povos americanos. Sabe-se, porém, que inicialmente os índios preparavam a pipoca com a espiga inteira sobre o fogo. Depois, eles passaram a colocar só os grãos sobre as brasas – até inventarem um método mais sofisticado: cozinhar o milho numa panela de barro com areia quente.

A pipoca já era vendida em feiras e parques nos Estados Unidos no século XIX. No fim desse período, surgiram os primeiros cinemas americanos e, com eles, vieram os ambulantes e seus carrinhos com pipoca e guloseimas, mistura de pipoca, amendoim e açúcar queimado. No começo, os donos dos cinemas torciam o nariz e achavam que a pipoca distraía os espectadores dos filmes.

Durante a Grande Depressão, a pipoca era relativamente barata e se tornou popular. Assim, o negócio da pipoca prosperou e se tornou uma fonte de renda para alguns agricultores em dificuldades.

Após a Segunda Guerra Mundial, com a popularização da TV, houve uma pequena queda no consumo,[8] porque os americanos abandonaram as salas de cinema para ficar em casa. Mas logo criou-se o hábito de comer pipoca em frente à televisão, o que voltou a aumentar a demanda do milho de pipoca significativamente.

Pipoca de micro-ondas

Em 1981, a gigante americana General Mills, registrou a primeira patente de pipoca de micro-ondas. Fato que foi responsável por um crescimento assustador do consumo do petisco. Mesmo sendo considerado um alimento que pode apresentar certos riscos de saúde, o consumo de pipoca, após esta invenção, subiu consideravelmente no ano seguinte.

“Eu queria saber porque o milho de pipoca estoura e o ‘milho de galinha’, não.” Espindola

Espindola, o milho que vira pipoca (milho pipoca) e o milho de galinha (milho comum) pertencem a mesma espécie (Zea mays), no entanto, são variações diferentes. Apesar de serem da mesma espécie, eles possuem muitas diferenças na sua constituição.

Para começar, o milho comum é muito maior do que o milho pipoca e tem também um formato mais achatado, enquanto o milho pipoca é mais arredondado. Todas as variedades de milho possuem basicamente três partes (casca, endosperma e embrião). A resistência da casca, a distribuição do endosperma e o tamanho do embrião são os fatores responsáveis pela capacidade que o milho tem de virar pipoca ou não.

O endosperma é constituído por amido duro e amido mole. O amido duro é a parte do milho que ao ser aquecido expande formando a pipoca. No milho comum, a quantidade de amido duro é muito pequena pois o seu embrião é muito desenvolvido e ocupa muito espaço dentro do grão. O milho de pipoca é o contrário: o embrião nestes grãos é muito reduzido e sobra um grande espaço que é, praticamente, todo preenchido pelo amido duro, o responsável por virar pipoca. O embrião não tem qualquer participação para que o milho vire pipoca. A casca também tem seu papel. No milho comum, a casca é muito dura e resistente, mesmo com aquecimento ela raramente se rompe. Já no milho de pipoca a casca é muito mais fina e fraca, o aquecimento já é motivo para que ela se rompa com a pressão interna.

Juntando tudo, o milho comum tem casca dura e resistente, embrião ocupando quase metade do grão e muito pouco espaço para o amido duro. Enquanto o milho de pipoca tem casca fina e fraca, embrião muito pequeno e um grande espaço preenchido com amido duro. Quando aquecemos o milho comum, o amido duro também se expande, mas como sua quantidade é mínima e a casca é muito resistente, ele não vira pipoca.

Alguns milhos comuns podem até estourar, e “tentar” se tornar uma pipoca, mas normalmente formam “pipoquetas” que estão longe de ser uma pipoca gostosa e suculenta. Quando o milho de pipoca não estoura, é sinal de que a casca pode ter alguma perfuração (furinho) e por isso não teve a pressão necessária para se tornar pipoca. Para saber com detalhes como o milho vira pipoca, clique AQUI!

Conheça todos os nosso produtos!

Leia também: PAINÇO ALCONDI ALIMENTOS